segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Coisas que aprendi com a 1a gravidez

De tanto bater papo com outras barrigudas sobre gravidez e afins, descobri um monte de coisas que aprendi com a 1a gravidez e não me incomodam tanto (ou nada) nesta 2a:

- Cesárea ou parto normal? Na gravidez do Vítor eu comprei livros sobre parto normal, fiz exercícios, entrei em listas de discussão, troquei de médico aos oito meses porque o meu era cesarista assumido. No fim das contas, o Vítor se enrolou no cordão e não adiantava nem o Papa vir me dizer que isso não era motivo pra cesárea, porque pra mim era e pronto. E no fim das contas, pra mim não faz diferença por qual buraco ele saiu, eu o amei muito, demais. E o pior: falaram tão mal, mas tão mal de tudo e eu achei tudo tão tranquilo, que agora tenho medo é do parto normal! kkk (o desconhecido sempre assusta, né?)

- A hora do nascimento. Quando chega nas últimas semanas, os sintomas se intensificam: dores, cólicas, contrações de Braxton-Hicks... tudo isso faz a gente achar (quer dizer, TER CERTEZA) que a data provável do parto dada pelo médico está ABSOLUTAMENTE errada. E que o bebê vai vir antes, com certeza. Junte-se a isso o fato de que todo mundo começa a dizer que sua barriga tá baixa (ou alta) demais, a ligar dizendo "eu achava que já tinha nascido" e coisas do tipo. A medida que o tempo vai passando, a gente vai ficando ainda mais e mais ansiosa, um saco! Agora quando falam "tá pertinho", eu já falo logo "tá nada, vai demorar muito ainda". Já me basta a minha ansiedade, não preciso da ansiedade dos outros.

- Estrias. Desta vez não gastei rios de dinheiros com cremes caros contra estrias. Da última vez eu me lambuzava inteira todos os dias, com cremes de marcas caras, específicos pra gravidez ou não. O resultado? Fiquei com a barriga igualzinha a um mapa hidrográfico da bacia amazônica. E não estou exagerando não, é verdade mesmo. Eu até pensei em fazer tratamento (caríssimo), mas fui pesquisar antes e descobri que se eu engravidasse de novo, as mesmas apareceriam novamente. O que significa que o dinheiro iria todo ralo abaixo. Pergunta se dessa vez apareceu alguma estria nova!! Nenhumazinha, só as minhas "velhas" amigas mesmo! kkkk

- Peso e alimentação. Parece um pouco com a cantilena do parto normal. Se a gente fizer uma lista das coisas que grávida não pode comer, todas morreriam de inanição. Tudo bem, vamos colocar os pingos nos is: quando comemos uma coisa, nosso corpo se encarrega de "pegar" todos os nutrientes e distribuir "por aí", por meio do sangue. Aquilo que não presta é eliminado, pela urina e pelas fezes. O que é levado para o bebê é o sangue, não o que comemos. Então vamos esquecer aquela história de que tomar café ou coca-cola é a mesma coisa que colocar na mamadeira e dar pro bebê, porque não é.

Devemos evitar? Sim, devemos. Porque cafeína demais faz mal pra gente, quanto mais para o bebê. Assim como devemos evitar outras mil coisas, principalmente o álcool. Mas acredite, tomar uma lata de refrigerante não vai fazer seu bebê nascer diferente do que nasceria se você não tomasse. Em tudo no mundo a gente precisa ter meio termo, não precisamos exagerar, não é?

E o massacre sobre engordar demais? Estou realmente começando a achar que os médicos gordos que não conseguem emagrecer descontam toda a sua frustração na pobre grávida indefesa. Conheço pessoas que engordaram 20, 25, 30 kg na gravidez e todas estão muito bem, obrigada. É saudável? Provavelmente não, mesmo que não estivessem grávidas. Mas alguém acha que o terrorismo que alguns médicos fazem vai realmente mudar alguma coisa? Uma amiga de twitter contou que o dela chegou a dizer que iria fazer uma incisão vertical na barriga dela, já que ela não estava ligando mesmo pro peso. Detalhe: ela engordou 9 kg!!! Não seria muito mais razoável dizer a elas pra procurar uma nutricionista, que orientaria muito melhor, sem terrorismos inúteis?

Só pra constar: desta vez acompanhei toda a gravidez com uma nutricionista, que me orientou o tempo todo, inclusive nas minhas escapulidas. Até agora engordei 12 kg e tô muito feliz com isso. É muito? É pouco? Não tenho idéia, deixo essa preocupação pra ela! kkk

- Conselhos x palpiteiras de plantão. "Se conselho fosse bom, ninguém dava: vendia" Não concordo com isso. Ouvi muito os conselhos legais das minhas amigas que já tinham passado por isso e ainda ouço, adoro! Pra que cometer um erro se eu posso aprender com a experiência do outro? Acontece que conselho é muito diferente de palpite. E que é muito diferente de comentário. Coisas do tipo, "você está imeeeensa", "tem certeza de que é um só?", "como foi que isto aconteceu??" (fui mãe solteira da primeira vez) e "cadê o pai?" não acrescentam nada à sua vida e ainda te deixam mais irritada. O que aprendi: a deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro. Confesso que de vez em quando ainda deixo o sangue subir, mas na maior parte das vezes só desabafo no twitter e não desconto na pessoa (embora algumas mereçam). Isso também vale

- Mitos. Nem caio mais nessas. Quando gosto muito da pessoa, esclareço com calma. Quando vejo que não tem futuro, nem ligo. Coisas do tipo: "azia é sinal de bebê cabeludo" (quase morri de azia e o Vítor só foi ter cabelo aos 2 anos), "barriga pontuda é sinal de menino, espalhada é sinal de menina" e "beber água gelada dá pneumonia no bebê". Já até desenvolvi um olhar bem atento e um balançar de cabeça, pra usar enquanto finjo que estou interessada e minha mente vagueia por outras coisas mais importantes.

Bem, por fim, digo que aprendi uma coisa: não existe verdade absoluta. Tudo o que eu disse aí em cima é o que EU acho. Não quer dizer que eu não tenha amizade com pessoas que pensem totalmente diferente de mim. Algumas são MUITO amigas mesmo, porque temos uma coisa em comum: respeito à opinião alheia. Eu acho uma coisa e não tento impor, a pessoa acha outra coisa e não tenta me impor. Pronto, tudo fica bem.

10 comentários:

fer disse...

as opiniões são diversas,mas bem que concordo com td o q vc escreveu!cansei de tantos palpites na minha gravidez (e na minha vida pós-gravidez também!).briguei,fiquei chateada uma pá de vezes, e a única coisa que descobri é q passei muito stress desnecessário, e q tem certas pessoas q nunca mudam, então, o melhor é deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro mesmo, e tentar nao se irritar.


bjossss Taty!

Marô disse...

Nossa!
Que legal ler isso.
Faz 11 anos que tive meu caçula...rs
Azia é sinal de bb cabeludo,ouvi muito.O primeiro parecia um asterisco de tão cabeludo e o segundo uma bola de bilhar...rs
Vai saber,né?
Calma que piora!Depois que nasce os palpites pioram!!!rs
Vc já sabe disso,né?
Beijos

Lívia disse...

Olá
Acabei de ter meu primeiro bebê, adorei seu blog!
Bjs

BLOG DA GRÁVIDA disse...

Perfeito! Queria ter lido isso antes! Principalmente a parte do parto normal x cesárea. Antes de engravidar e entrar no mundo virtual da gestação (blog, twitter, etc.) eu simplesmente não fazia idéia de que havia gente que rotulava as mães com base no tipo de parto que elas haviam tido. No meu mundo REAL isso nunca existiu. Cada uma teve o parto que quis ou que pode, e isso nunca foi motivo de julgamento por parte das outras. O que nós queríamos era saber se bebê e mãe estavam bem. Até assustei quando descobri esse outro lado da força do parto. Achei isso tão absurdo! Gente que nem se conhece direito julgando o outro pelo tipo de parto! Impondo idéias e ideais! Chocante saber que na internet - uma terra teoricamente "livre" - ainda tem tanta gente com cabeça tão pequena que quer impôr seus princípios (e a maioria só tem esses princípios na teoria, por que na prática não fazem nada do que pregam). Enfim! Você falou TUDO! (ou melhor: escreveu TUDO!). É a voz (ou o teclado...hehehe) da experiência mesmo! AMEI! Beijo!

Lu Boury disse...

Qtos assuntos abordados hj! rsrs adoro conselhos, principalmente de maes mais experientes como vc ou a Lu, mas palpiteiros existem de monte e o pior é que eles não possuem noção de nada nunca, geralmente comentam algo que vá nos deixar mto sem graça ou chateada. Normal! Por isso já abri mão da minha diplomacia e tbm falo o que penso qdo me dizem algo desagradavel. Qto ao PN ou cesárea, é aquilo que conversamos né, a dita cuja é minha, faco com ela o que bem entender e o que o médico achar que é o mais cabível pra situação. O que importa é a minha saúde e o bem estar do bb! Concordo com a Blog da grávida, enfim...opinião todo mundo tem, o difícil é ter respeito pela opinião alheia e respeito não é todo mundo que tem! Ah, conheço esse médico aí viu? rs o senhor do terrorismo, tbm totalmente insensato com seus comentarios, acabou cmg várias vezes que fui lá! Aff.. É isso flor, os seus conselhos são super bem vindos. Pode dar que eu adoro! Bjao

Pri disse...

Querida, nada como uma grávida de 2a. viagem pra tranquilizar as inexperientes. Fico feliz demais em saber que a gente pode fazer que concorda sem concordar(cara de paisagem tá virando minha especialidade, apesar de às vezes as besteiras serem tão anômalas que não tem como ficar quieta.

bjusss

Layana disse...

Coisa boa é a gente estudar, ter discernimento e educação né? Graças a deus sou igual a vc em muitos aspectos. Sou mais meu jeito relax...

marcos disse...

KKKKK..Demais!! Simplismente te adoreeeeii... Tudo verdade, passo pelo mesmo processo e estou na minha primeira gestação, portanto ainda me assusto com istorias do POVÃO...MAs vc caiu como uma luva....Estava pesquisando sobre soluços de bb na barriga, pq minha mãe diz que é pq bebo muita aguá gelada e te encontrei...Parabpens elos Filhos e obrigado pelo Post

Kimberly disse...

Eu gosto de uma quantidade ilimitada de mais aconselhamento dado neste blog, quando minha esposa estava grávida participaram de um treinamento chamado skin cancer symptoms, e em seguida, deu conselhos muito semelhantes a eles, mas a informação é muito mais detalhado blog. obrigado por compartilhar com os leitores!

Crosby disse...

Quando eu tive meu primeiro filho era muito bonito de cuidados durante a primeira semana. Eu senti muito amor para vê-lo o ± tão pequeno e indefeso. meu filho nasceu porque meu filho teve forte viagra online

  ©Template designer adapted by Ana by anA.