quinta-feira, 21 de maio de 2009

Aproveite a gravidez


A primeira coisa que uma grávida precisa adquirir é um filtro de ouvido. É um sisteminha muito útil que filtra todas as opiniões desnecessárias e os conselhos absurdos que ela vai ouvir durante a gestação. Principalmente nos primeiros meses, quando parece que ela enfrenta uma verdadeira “Competição de Grávidas”. Quem tiver o azar de enfrentar todos os sintomas clássicos e ficar cansada, enjoada ou começar a selecionar muito o que come, certamente vai ouvir de “amigas” e mulheres da família frases nada encorajadoras como:

- Nossa, eu nunca tive enjoo.

- Ah, eu tinha uma disposição. Trabalhei até o final nas três gestações, não fiquei fazendo corpo mole.

- Gravidez não é doença, isso tudo é frescura de grávida.

- Tive todos os meus filhos em casa, sozinha, de parto normal. Eu mesma cortei o cordão umbilical.

Antes que você consiga pronunciar “amniótico” já terá ouvido dezenas de relatos de super-grávidas, que tentar fazer você se sentir a mais ‘mole’ das gestantes.
Bobagem. Filtre isso. Não aborva nada dessas besteiras. Não entre nessa de competir para mostrar que você pode passar a gravidez num salto 15, ir a todas as festas, trabalhar como uma escrava e ainda estar sempre sorridente e disponível. Quer se divertir na gravidez? Desligue o filtro e anote o que vou te contar sobre estes nove maravilhosos meses em que o mundo deve girar em volta de você, só pra variar um pouquinho. Claro que para descobrir isso tive que conversar com mulheres que já são mães, gostam de mim e agem de forma honesta e carinhosa.

Este é o SEU momento. Depois que o bebê nascer, vai ser o momento dele. Daí sim vai ser a hora do trabalho duro começar. (A não ser que você seja abençoada com um séquito de babás, lavadeiras, passadeiras, motorista e um marido compreensivo que faz questão de executar a sessão “arroto do bebê”. Neste caso, pare de perder tempo lendo este post e volte pros seus afazeres glamurosos). Portanto: aproveite! Faça tudo o que quiser fazer. Quer dormir o dia todo? Acredite: o pessoal do trabalho vai entender. Ah, o seu trabalho é em casa mesmo? Melhor ainda: o marido que vá comprar comida pronta ou pesquise receitas na internet. Está a fim de soltar os cachorros em alguém? Solte e ponha a culpa nos hormônios. Se você tem outros filhos pra cuidar, curta os pimpolhos quando estiver com pique. Quando não estiver, acione as amigas, o pai, os avós.

Se cuide. Gaste horas fazendo coisas que você gosta, passando seus cremes, vendo tv, lendo, conversando com as amigas. Deite no sofá da sala, faça uma voz de apelo e grite: “benhêêê traz um coooopoooo d´águaaaaa?Seu filho precisa se hidrataaaar” . Abuse mesmo. Tenha desejos. Não coma e não beba nada que seja prejudicial para a sua gravidez (mesmo que a sua sogra garanta que é bom). Descanse. Cansou de descansar? Vá dar uma volta, fazer algo que te deixe feliz. Gaste seu tempo, seu dinheiro e sua energia com você. Desencane do que os outros querem. Seja egoísta pelo menos desta vez. Por que quando o bebê nascer, você vai ter de se doar inteira, estar presente o tempo todo. Então aproveite a viagem de despedida dessa vida boa!
Essas mulheres que se mataram para dar conta de tudo durante a gravidez, certamente não curtiram a gestação como você vai curtir. Quando vejo uma grávida estressada em seu celular, se equilibrando no salto e atrasada para uma reunião, penso logo no tipo de energia que o bebê está recebendo naquele momento. Também penso no que o corpo daquela mulher está sofrendo para conseguir dar conta de todas as exigências.

Uma senhora amiga minha, que já é avó, confessou que se arrepende muito de não ter curtido mais as gestações. Ela estava sempre tão preocupada em continuar sendo quem ela era antes, em provar para o mundo que ela não era uma moleng, que não se deu conta do que estava fazendo com o próprio corpo. Ela contou que continuou trabalhando como uma louca, cuidando da casa, do marido, de tudo e todos. Duas gestações depois ela se deu conta de que tinha forçado o próprio corpo, de que tinha ultrapassado o limite. No final, ela ganhou dois lindos filhos. Mas também herdou varizes, dores crônicas nas costas e um problema no estômago. Admitiu para mim que, se tivesse curtido a gravidez, em vez de enfrentar a gestação como se fosse um obstáculo, estaria muito melhor agora. Teria gastado mais tempo com cremes para a própria pele, em vez de ficar preocupada com a faxina da casa. Teria também descansado mais o corpo e feito coisas agradáveis e relaxantes. “Não faça como eu fiz, meu bem.”

Então durma até mais tarde, coma só o que achar que deve, viva em função da sua gravidez. Pense bem: tem uma pessoa dentro de você, sugando energias, proteínas, exigindo cuidados. Isso combina com trânsito engarrafado ou uma faxina pesada no banheiro? Claro que não. Isso combina com boa alimentação, repouso, coisas relaxantes. Vão dizer que é frescura, e daí? Algumas vezes vai ser frescura mesmo. Mas só você vai saber a diferença.

4 comentários:

Blog da Grávida disse...

Thaty! Que bom que você gostou. Quer dizer que se identificou. E eu fico tão feliz quando descubro que não sou um alien perdido no Planeta das Grávidas! Beijo!

Layana disse...

Perfeito, muito bom.

Na minha gravidez, como eu era muito nova, as pessoas vinham me dar conselhos como se eu fosse uma analfebeta que não se informa e não estivesse ligando pra nada... E tem as pérolas né? "Não pode refri pq dá gases no leite" Eu dei uma aula pra ignorante "olha o leite é feito do nosso saangue, se no meu sangue tivesse uma bolinha de gás eu morreria de embolia... embolia sabe? ah não sabe? olha no dicionário!" kkkkkkk eu fui mau

silvia disse...

Muito bom Thaty! lindo texto diz realmenteo que somos e pra que estamos da uma boa massageada no ego, deixa a gente toda cheia. bj.

Jeniffer disse...

Olá, dei uma passadinha por aqui para retribuir a visitinha. Adorei o seu blog e concordo que as pessoas acham que ouvido de grávida é penico! fala sério!
Agora cá pra nós, aguardar uma Alice é uma delícia, né?
beijos

  ©Template designer adapted by Ana by anA.